21 de abr de 2011

Bakuman

E ai galerinha, belezura? Andei sumida por um tempo, mas voltei pra deixar uma dica de entretenimento pra vocês: Bakuman.


Entrei numa fase nipônica e resolvi pedir umas dicas de animes e afins para os amigos camaradas. Eis que faço o download de Bakuman e simplesmente me apaixono. O mangá é dos mesmos criadores de Death Note (que já virou clássico. Um dia falo sobre ele por aqui), o que me deixou bem interessada.

História

A história é sobre dois estudantes japoneses, Moritaka Mashiro e Akito Takagi (ou simplesmente Saiko e Shujin) que sonham em virár mangakás (criador de mangás). Saiko desenha e Shujin escreve as histórias.

Durante a trama é mostrada a dificuldade do processo de criação de um mangá, dos dois adolescentes lidando com rejeições e tudo mais. É uma história bem diferente para um mangá/ anime, mas acho que foi justamente isso que me encantou. Sem contar as referências sobre mangás já consagrados como o próprio Death Note, Naruto, One Piece, Hunter-Hunter, e etc.

Não li o mangá (irei ler!), mas sei que está no número cento-e-tra-la-lá no Japão. Infelizmente o mangá ainda não chegou nas terras tupiniquins, o que é bem triste, pois me obriga à ler nas fontes paralelas. O anime terminou sua primeira temporada e parece ter sido muito bem aceita, o que garante para os fans uma continuação.

Introdução


Enfim

Tudo é muito bem feito, desde o enredo até os desenhos. As referências são ótimas, os personagens são engraçados e cativantes. Assistam! É muito Kawaii *.*!

10 de mar de 2011

Gears of War

Sendo um dos primeiros jogos que finalizei no Xbox 360, Gears of War abriu o mundo de "jogos exclusivos do xisboca" pra mim. Apesar de achar a história ótima, senti uma certa decepção no final do jogo. Coisa que sumiu no instante que finalizei o segundo. Mas, sem spoilers =)

História

O jogo se passa no planeta "Sera", onde uma crise de energia deixa o povo desesperado atrás de petróleo. Em meio à tantas perfurações, uma nova substância, batizada de Imulsion, aparece pra salvar a vida de todos. Infelizmente, a tal nova fonte de energia é encontrada em algumas poucas partes do planeta, causando uma crise financeira que, óbvio, terminou em guerra. Após 75 anos que deixaram o planeta lindo de morrer, uma super bomba acabou com o conflito, dando a vitória aos mais afortunados, ou seja, os países que possuíam a tal substância.

Com a explosão, das perfurações de Imulsion saíram uma espécie de "galera dumal", chamados de Locust. Uma nova guerra começou, e em mais ou menos 10 anos, 90% da população mundial foi devastada pelos Locust. Nosso protagonista, Marcus Fenix, é preso no meio dessa guerra por largar o posto por assuntos pessoais (ele foi tentar salvar o papai ou algo assim). Condenado, Marcus passa 4 anos na prisão militar, solto por Dom (melhor amigo) quando o COG (Coalition of Ordered Governments) se vê completamente sem pessoal qualificado pra continuar a guerra.


Enfim, é ai que o jogo começa.

O jogo

Sim, Gears of War é um Shooter. Sua missão é invadir o "ninho" dos Locust e implantar uma bomba (nada de bom aconteceu da primeira vez, mas eles não aprenderam) pra terminar a guerra. O jogo é dividido em capítulos, o que torna tudo mais bem desenvolvido. Cada capítulo é uma parte da cidade completamente diferente, e o cenário do jogo é simplesmente incrível! A iluminação, o clima pós-durante-guerra é muito bem transmitido, o que torna a imersão bem fácil.

Quando eu cheguei na parte da Fábrica (capítulo 5 se não me engano), minha cabeça explodiu! Foi provavelmente um dos cenários mais lindos que eu já vi. E a parte mais complicada do jogo.

Você pode pegar a arma do inimigo e se "alimentar" de munição dos corpos que você deixar pelo caminho. Aliás, eu joguei em Co-op com meu primo, e munição não foi problema em momento algum do jogo, o que tornou a coisa toda bem fácil, na minha opinião fecal. Claro, eu ainda não joguei no modo Hardcore e Insane, mas irei.

Se você jogar sozinho, talvez tenha um pouco de dificuldade de passar de certas partes, que em co-op são mais simples, pois rola um plano com seu amiguinho de quem corre pra ser isca e quem mata, e coisas do tipo. Já sozinho, bom. Eu travei em várias partes porque a galera do time não vinha me levantar e eu acabava morrendo. Damn it.


Ah, isso é algo bem legal no jogo. Você precisa ajudar e ser ajudado durante todo o jogo. É um trabalho em equipe, literalmente. Se você tomar muito tiro, você cai de quatro e fica completamente vulnerável, esperando a boa vontade de um amiguinho te dar um tapa no ombro e dizer "you're good to go".

Conclusão

Jogue Gears of War 1 tendo em mente que existe um segundo jogo e que existirá um terceiro. A história termina do nada. Minha sensação foi a mesma de quando vi Senhor dos Anéis - A Sociedade do Anel no cinema. Exatamente a mesma. Termina do nada, não faz sentido, e você fica puto porque estava indo tudo tão bem, e esse final estragou o jogo todo. Mas calma, quando você pegar o 2 tudo fica melhor =)

Minha nota: 7 (antes de jogar o 2).
9,8 (depois de jogar o 2).

É um ótimo jogo, mas sem o jogo 2 ele é só um Shooter. Juntos, são um puta dum jogo incrível!

13 de fev de 2011

Filmes do final de semana (1)

Meu primeiro post sobre filmes. \o/

Eu tenho essa coisa de querer ver tudo que me indicam e tudo que dizem por ai ser bom, bomzim ou dukaraio. Infelizmente, eu tenho mais filmes do que tempo pra assistir todos. Mas tento tirar da lista ao menos um por final de semana. Vou fazer esse post regularmente, falando um pouco sobre os filmes que eu vi.

Sexta feira eu assisti Children of the Corn III. Podem rir, eu deixo. =D
É um clássico, e eu gosto de clássicos. Pra quem nunca viu (onde diabos você esteve nos últimos 20 anos?) algum filme da franquia, (sim, tem uns 8 filmes do colheita maldita. Como fazer uma história curtinha de livro se transformar em uma caralhada de filmes é a especialização de Hollywood) fala sobre uma cidade de interior e um menino evil que convenceu a criançada à matar todos os adultos da cidade. Ele é tipo o "demo" ou algo assim. E o tal "Deus" deles vive no solo de um campo de milho. Eu odeio campos de milho até hoje por causa desse filme. É que nem a cena do menino cortando o pé do velho com um bisturi em "Cemitério Maldito", lembram? Filmes podem não moldar caráter, mas moldam o medo das pessoas, vai por mim. Enfim, o filme é tão ruim, mas tão ruim, que chega a ser bom! O legal de rever filmes antigos é isso. Você nota coisas que passaram batido da primeira vez. Como uma parede de papelão ou os figurantes rindo numa cena que tem sangue pra todo lado. Eu dei muitas risadas, vale a pena!

Sábado eu assisti Black Swan. Desse eu não vou poder falar muito, pois não há como falar nada desse filme sem soltar spoilers. Só digo que a última interpretação que eu achei tão genial, foi a do Heath Ledger. Chorei muito. Natalie Portman TEM que ganhar o Oscar. Perfeito não expressa o que esse filme é, acreditem (é do mesmo diretor de Requiem for a Dream, resta dúvida que é fodástico? Aronofsky só acerta!). E vão ver no cinema!

Domingo eu assisti dois: Triangle - É sobre uma mãe e seu filho com autismo. Um belo dia ela vai fazer um passeio de barco com um amigo e larga o moleque no colégio. Quando do nada coisas estranhas começam a acontecer, e quanto mais você acha que está começando a entender, mais informações malucas vem pra derrubar sua teoria. Eu to "whaaaaaat?!" até agora. É genial! Um filme de baixo orçamento, com atores no mínimo esforçados, e uma trama de arrepiar! Ele te prende e te surpreende até o último segundo! Não deixem de ver.

Let me In - Acho que esse todo mundo ouviu falar. Só pelo título dá pra saber que é sobre vampiros, então não é exatamente spoiler. Curti o filme, mas num achei tudo isso. Na verdade vi mais porque tem a Chloe Moretz, que fez a Hit-Girl, e é muito foda =D
Bom, não é tudo isso mas foi bom o suficiente pra me deixar curiosa sobre a versão original, que é sueca ou suíça, algo assim.

Clique no link para ver o trailer de Black Swan, Let me In, Triangle e Children of the Corn III.

Notas:
Children of the Corn III - 4,5, pela diversão.
Triangle - 8, pelo roteiro impressionante.
Black Swan - 12, porque 10 é pouco pra esse filme e pela interpretação da Portman.
Let me In - 7, vale a pena ver.

#ficaadica

29 de jan de 2011

Quadrinhos

Eu sempre tive curiosidade sobre hq's. Mas, pra quem é noob como eu, é meio assustador começar a acompanhar uma história em quadrinhos. Primeiro, porque a grande maioria já está no número 300 e tralálá e tem umas 3 ou 4 ramificações (que sempre são valiosíssimas pra história como um todo), e segundo, porque pouca gente realmente entende do assunto à ponto de poder ajudar nas primeiras escolhas.

Felizmente, meus amigos são tão ou mais nerds do que eu, o que ajuda bastante toda vez que eu escolho abrir mão de mais um bucadinho da minha vida social. =D

A comix fest (que, se não me falha a memória, ano passado passou a se chamar "Comic Con Brasil") é o melhor local para se começar a conhecer um pouco sobre esse universo. Os preços bem convidativos e ter ao seu ladinho alguém de profundo conhecimento pra ajudar, causam uma situação de puro auto controle e pão durismo. É tudo tão colorido e brilhante! Me senti como uma criança (mas com um cartão de crédito, mistura de alta periculosidade).

Fora os super heróis que todo mundo conhece (mas pouca gente sabe a origem e a história por trás deles), temos mangás, revistas antigas, action figures. Ou seja, você não sai de lá com as mãos vazias. Eu comprei um mangá chamado "Rage" só porque estava 1 real. Eu ainda não li. Não sei do que se trata. Mas, po, 1 real!? Claro que eu vou comprar!

Eu comprei pouca coisa com medo de não gostar. Me arrependo, pois os preços de lá são imbatíveis. Comprei os dois primeiros volumes de Sandman. Acabei de ler o primeiro ontem. Até agora estou achando fodástica.

Sandman: É o Senhor dos Sonhos. Ele foi aprisionado por uma magia negra e fugiu depois de 70 anos, só pra perceber que o mundo dos sonhos virou uma loucura, que ele tá fraco e sem poder, e que todas as coisas que ele tinha e eram poderosas foram perdidas. Eu só terminei de ler a primeira história (que na verdade é uma coletânea das 5 primeiras hq's. É um relançamento da Pixel.) e ele já visitou até o inferno. Eu to curtindo bastante, mas é meio pesado algumas vezes.


Spawn: Também só li o "A Origem", que nada mais é do que (adivinha...ahn? Alguém?) as 5 primeiras histórias. Trata-se de um mercenário que morre porque seu chefe foi um fdp muito grande, e ele faz um trato com o demo pra voltar e ficar com a esposa dele. Mas ele volta como um soldado do inferno, com a carne podre e outros impecilhos. Além de perceber, claro, que já se passaram 5 anos e sua mulher casou com seu melhor amigo. Eu curti a história. Achei bem "pessoal" e bem desenvolvida.

Lanterna Verde: Li o "Rebirth", que conta a volta de Hal Jordan. Nhé....é bacaninha, mas eu esperava mais. Conta sobre o anel e a tal bateria central, mas achei uma história meio rasa.


Como eu disse, sou bem noob nessa coisa de HQ, mas comprei esses daí na tal feira e simplesmente amei. Dei até um tempo nos livros. Comprei semana passada o Maus (que fala sobre a segunda guerra mundial de uma forma BEM original) e o Cicatrizes (que conta a infância perturbada e triste do escritor). Eu li o primeiro volume da Scott Pilgrim, mas só vou fazer review quando terminar de ler tudo, já que são apenas 3 volumes (em português).

Se você tem interesse em saber mais sobre quadrinhos, ouça o podcast do MRG. É bem legal e dá dicas bacanas. O Maus, por exemplo, foi dica do Diogo.

Quando eu terminar de ler mais algum, conto como foi. =)

Podcast MRG.

Séries - Melhor descrição

Meu amigo Johnny fez um comentário muito válido: Eu podia descrever melhor as séries.
É verdade. Eu podia e eu vou :D

Então vamos lá! (e já vou adicionar V, que eu esqueci que assisto..rsrs)

Fringe: A série é meio Sci-fi. "Fringe" é uma partição do FBI que cuida de casos nosense (à lá arquivo X). Tudo que não tem uma explicação lógica, eles chamam a galera do Fringe. Universo paralelo, tecnologia de destruição em massa....Isso é fringe.

The Middle: Conta o dia-a-dia de uma família americana padrão, pelo ponto de vista da mãe.

Family Guy: Sátira da família americana padrão, mas com piadas que nem sempre (quase nunca) fazem sentido algum. E é ai que está a graça de FG. Um bebê assassino (e gay), um cachorro que fala, um vizinho tarado e um velho pedófilo (que todo mundo no bairro conhece). Um policial de cadeira de rodas. Tudo é muito absurdo. É GENIAL!

Futurama: Mostra um futuro aonde ser uma cabeça falante é ok, mas ser mutante, não. Aliens andando entre as pessoas, lulas que falam, cientistas malucos. É difícil descrever futurama. Mas só pelas piadas inteligentes e pelo personagem Bender, um episódio e vc nem precisa mais de explicação...hehehehe

How I met your Mother: No começo eu achei que seria meio "friends". E no fundo, é um pouco. Mas os personagens são bem diferentes. É basicamente assim: Ted senta pra contar pros filhos como ele conheceu a mãe dele. Mas ele não pula nada (nada mesmo). Ele conta como cada pessoa entrou no grupo, como eles se divertiam, o que ele fazia, e todas essas histórias é a série. É o dia-a-dia do grupo pelo ponto de vista do Ted. Cada personagem é bem caracteristico, o que torna a série muito foda. =D

Dexter: Todo mundo já deve ter ouvido falar de Dexter. É sobre um serial killer que trabalha como Forense Guy na policia de Miami. Ele é filho de policial e a irmã dele é detetive. Resumidamente ele limpa a cidade, matando os bandidos que a policia não tinha prova suficiente pra prender. O mais interessante da série não são as mortes, e sim a linha de raciocínio e as tramas que envolvem o Dexter diretamente. Ele busca ser "normal" o tempo todo, e isso é o centro de todas as suas atitudes. Todo mundo que vê, ama o Dexter.

Vampires Diaries: Série baseada no livro Vampire Diaries. Eu não li o livro, mas a série é sobre os irmãos Salvatore, que voltam pra Mystic Falls em busca de uma mulher que se parecia muito (a cara cuspida) com seu antigo amor. É sim um romance, mas a trama é bem mais complexa e profunda, envolvendo diversos personagens bem desenvolvidos.

The Big Bang Theory: Como descrever? Dia-a-dia de um bando de nerds? É, é isso..rsrs

Better With You: 3 casais com tempos de vivência diferente. A série se foca em mostrar a diferença entre casais que convivem à um ano e outro casal que convive à 30 anos. É sitcom. Não esperem muita coisa.

Mike And Moly: Conta o começo de um relacionamento entre dois gordinhos que se conhecem no encontro de obesos anonimos (?). É legal, mas assim como better with you é sitcom.

Modern Family: São 3 famílias totalmente "modernas". Um casal de gay que adotou uma criança vietnamita. Um velho casado com uma jovem e linda moça. Uma família normal aonde os pais provavelmente tem problemas mentais...hehehehe.
É engraçada demais, mas bem dificil de explicar sobre o que se trata.

V: Remake da série da década de 80 (que eu não vi, logo não posso comparar) sobre alienígenas invadindo sorrateiramente a Terra. V é de visitantes. Eu gostei muito da 1ª temporada, mas a 2ª tá me decepcionando um bucadinho.

Go, eu não vi Gilmore Girls inteira, por isso não comentei sobre. Eu vi e vejo muita série que eu gosto (como gilmore girls, new adventures of old Christine, Two and a half man, simpsons, Drop Dead Diva, the walking dead, etc) mas ainda tenho muito pouco pra comentar ou simplesmente não vi tudo pra ter envergadura moral (hehehe) pra criticar. Na minha opinião de merda (#MRG) Gilmore Girls era simplesmente perfeita. Eu adorava o humor sem noção da Lorelai, mas eu vi muito pouco. E depois de Lost, vamos combinar, o final faz toda a diferença no "indicar ou não" uma série.

Vou parar por aqui pois esse post é mais uma continuação do que algo realmente novo. O próximo será sobre quadrinhos =)

26 de jan de 2011

Series - Vício Nº 1

Eu tenho um sério problema com séries. Eu gosto de ler, gosto de sair pra beber e/ou comer, gosto de jogar video game, gosto de ir ao cinema ou ver um filminho em casa mesmo. Mas eu não gosto de séries. Eu amo essa porra.

Quando eu começo a ver uma série nova, eu quase nunca paro. Tem que ser realmente bem fraca pra me desanimar. Então eu aproveito pra compartilhar com vocês algumas das séries que estou acompanhando agora e algumas das que eu já vi e deixo a dica. Vou tentar não buscar coisas de muito tempo atrás (tipo Friends, que todo mundo sabe que é uma das melhores séries já feitas) pra não parecer a pessoa mais desatualizada do mundo. Porém, gostaria de começar por uma não tão nova, que acabei de ver tem menos de um mês: Battlestar Galactica.

Eu num sou lá muito fã de Sci-fi, mas é ai que a série te pega. Ela é tão focada nos personagens que têm hora que você até esquece que eles estão numa nave espacial!
Profunda, bem amarrada, urgente. Eu vi as 4 temporadas e todos os especiais em menos de dois meses. É episódio pra porra, minha gente. Meu amigo Luis me indicou essa série e eu sempre fui deixando pra depois, porque po, 4 temporadas é muita coisa! Até desanima. E como a série já tinha acabado, eu fui empurrando com a barriga. Cá estamos e hoje só tenho que agradecer ao Luis por insistir. Se puderem, vejam! Se for meu amigo, eu empresto! (hehehehe).

E já que o assunto é série veiaca, vou falar sobre a que eu descobri ser muito legal nesse feriado: Grey's Anatomy.

Série sobre médicos. Nhé. Foi isso que pensei quando ouvi falar de Grey's Anatomy pela primeira vez. Eu, indo contra metade do mundo, odiava ER (plantão médico). Achava muito superficial, com personagens rasos, e que aquilo parecia "Malhação" aonde o plano de fundo é o que importava, e não os personagens. Eu tentei várias vezes assistir, mas era muito boring. Mesmo com indicações de algumas amigas e sendo uma das séries mais comentadas nos últimos anos, eu ignorei minha curiosidade e mais uma vez, empurrei com a barriga (eu faço isso bastante).

No feriado eu tive um momento "falta do que fazer master" e resolvi assistir um episódio da 1ª temporada de Grey's Anatomy (eu já tinha feito o download à algum tempo). Quando eu percebi já estava procurando desesperadamente pela segunda, terceira, quarta....

Estou no episódio 6 da segunda temporada e continuo indicando. Claro, tudo pode mudar (como Lost, que hoje eu não indico pra ninguém), mas por hora, é uma série bem foda!

Eu acompanho algumas séries e vou tentar dizer um pouco sobre cada uma delas aqui.

Fringe: A primeira temporada deu uma perdida do meio pro final. Começou a enrolar demais e aquele lenga-lenga tava cansando a minha beleza. A segunda deu uma melhorada significativa, mas ainda não é uma das melhores que eu acompanho.

The Middle: Série leve de acompanhar, curtinha e bem boba. Eu nem sei porque ainda assisto, na verdade.

Family Guy: Eu simplesmente não entendia nada de FG quando assistia episódios soltos na FX. Resolvi assistir desde o começo e me impressionei! É genial! Simplesmente uma das séries mais engraçadas que eu já vi. Muito bom!

Futurama: Nem precisa falar, né? Pra mim Futurama é até melhor que os simpsons. Destaque para o Bender, personagem mais incrível, ever!

How I met your Mother: Essa foi meu amigo Bruno que indicou. Relutei pq já estava na 5ª temporada quando ele indicou, mas, what the hell? Ele me passou os episódios que tinha, e eu rapidamente vi tudo. É engraçada mas não é uma série comedinha. É muito foda, vai por mim.

Dexter: Outra que eu enrolei (eu disso que faço isso bastante) mas me apaixonei logo nos primeiros episódios. Vejam! Estou ansiosa pela 6ª temporada.

Vampires Diaries: Eu num sou lá muito fã de coisas vampirísticas. Ainda mais agora, com essa onda de vampiros que brilham e tals. Mas quando ouvi falar que Vampires Diaries também era baseada num livro, que por sinal veio antes de crepúsculo, eu quis dar uma chance. E até agora não me arrependi. A série é muito bem feita. E a trama me envolveu de jeito. Vamos ver no que vai dar.

The Big Bang Theory: Achei a 1ª e 2ª temporadas muito fodas. A 3ª deu uma caída, na minha opinião de merda (#MRG), mas ainda é boa o suficiente pra eu continuar acompanhando.

Better With You: Sitcom padrão. Eu gostei, é engraçadinha e tals, mas ainda não é boa pra caralho.

Mike And Moly: Sitcom romanticazinha. Parece boba e, bom, é. Eu assisto pq é curta e engraçadinha, mas é bem previsível.

Modern Family: Essa sim! Puta keep are you! Eu comecei a ver como quem num quer nada por indicação do meu brother Zahoz. É instantâneo. Basta um episódio pra você entender o pq essa série é absolutamente genial e não irá terminar tão cedo!

Não to conseguindo lembrar se acompanho mais alguma agora. Eu disse que isso é um vício! Depois as pessoas não sabem pq eu num tenho tempo de jogar mais. É tanta série que quase não me sobra tempo. Já estou baixando Six feet under e The Sopranos (também indicação do Luis. Se ele disse que é bom, eu acredito!). Pra que tempo livre, né?

Claro, tem as séries fodas que já terminaram, mas esse post já está muito longo. Quem sabe faça outro depois!

Viva México

Ahhh, como é bom comida mexicana, ein? Sabor picante até na bebida. Até os mais congestionados tem um prazo de 2 horas pra evacuar aquela bagaça. É uma arte! O méxico tá de parabéns! O Activia tem muito o que aprender com nossos irmãos latinos!

Tinha pelo menos um ano que eu não ia num bom restaurante mexicano. Entrei numa fase de japones praticamente toda semana e esqueci os pratos picantes por um tempo. O primeiro mexicano que eu fui foi justamente o "Viva Mexico". É um restaurante pequeno e tradicional que fica na Fradique Coutinho. Na época fui com 3 amigos que também nunca tinham comido num mexicano. Então, lógico, fizemos a festa. Foi uma orgia alimentar, meus caros leitores. Saí de lá praticamente rolando.

De lá pra cá fui no El Kabong e no Tollocos algumas vezes. Ambos são ótimos! O El kabong é Tex-mex na veia! Tudo muito gostoso, mas o serviço é meio lento, já que a casa é grande e geralmente agitada. O Tollocos é um fast food mexicano. Falando parece ser bagaceira, mas não é. Se você está com pressa e quer comer uma coisa mais caliente, assim, rapidinho, Tollocos é o local.

Mas, voltando ao Viva Mexico. O local é bem tradicional. A musica ambiente, a decoração, os pratos. Tudo muito gostoso. O serviço é absurdamente rápido. Tudo absolutamente apetitoso. Tão, aliás, que eu já sai comendo antes de tirar as fotinhas pro blog. Quando eu lembrei já tava tudo meio comido, e a entrada já tinha ido pro beleleu.



A carne desmanchava sozinha na boca, de tão macia. Tudo estava muito bom, mas o Chilli merece destaque. Foi o melhor Chilli que já comi, com absoluta certeza. Meu amigo Johnny não me deixa mentir!



Bem localizado, bem arrumado, bem gostoso. Recomendo =)

Minha nota: 9

Só não dou 10 porque a conta saiu meio salgada. hehehe

A Chapa

Eu adoro comer. Pra mim é quase uma arte a infinita quantidade de sabores que os cozinheiros e chefes mundo a fora apresentam pra mim. A mistura de ingredientes, o tempero, o ponto certo, o visual, tudo me chama a atenção quando o assunto é comida. Faculdade de gastronomia é uma das minhas frustrações. Quem sabe um dia. =)

Há alguns dias eu fui com um brother meu (Thomaz. Eu prometi dar crédito..hehehe) na famosa hamburgueria "A Chapa". Todo mundo que mora em SP e gosta de hamburguer já foi na Chapa. Se você mora em SP, gosta de hamburguer e não foi, você é muito bobo. =P
Enfim, eu já tinha ido na Chapa com outro brother, o Johnny. Mas na época eu num tinha prometido postar nada sobre minhas comilanças, então tive que ir denovo (que sacrifício!).

Começamos pedindo o melhor e mais simples dos acompanhamentos, a batata Country Wedges. Nada mais é que uma porção de batatas fritas com casca. Crocante, sequinha, delícia.



Com uma porção extra de maionese, que by the way, é provavelmente a melhor maionese caseira que já comi na vida. Pode parecer pouca batata, mas não é. As duas vezes que fui, em duas pessoas, sobrou batata.

Enquanto comíamos batata até sair pelo zoio, pedimos o lanche. Eu não estava com fome suficiente pra pedir um monsterburguer (hamburguer com 200g) mas pedi um hamburguer de picanha (que tem 140g, se não me engano). Eis a foto do mega super delícia Cheese Picanha Egg com Bacon. O hamburguer é suculento, o bacon é sequinho, é tudo de bom! E sabe qual é a melhor parte dos lanches da Chapa? Eles não desmontam. Apesar do tamanho (é grande o bicho!) o lanche fica bonitinho até o final. Já comi bons lanches que na primeira mordida vai salada pra um lado, e queijo pro outro. Isso não acontece aqui. Até a ultima mordida vai ter todo o recheio que você pediu. É sensacional!



#Ficaadica! =D

Minha nota: 10!
Atendimento foda, lanche foda, acompanhamento foda. Tudo bom demais!

18 de jan de 2011

Torta de Limão

Eu amo torta de limão. Acho uma das combinações mais perfeitas no ramo das guloseimas. A massa dissolve na boca, o recheio tem o azedinho na medida perfeita e ai vem o merengue pra finalizar...humm!!! Mas são perfeitas quando bem feitas, né?

Infelizmente eu já tive o desprazer de comer algumas tortas de limão que eram lindas, mas ordinárias. Daquelas sem sabor, que desmerecem até a saliva que minha boca solta ao vê-las. Pois bem. Eu, como amante de um bom quitute e de uma boa torta de limão, resolvi fazer umas tortinhas pra trazer pra galera do trabalho. E deixei umas em casa pra mim e pra vovó, claro. =)





Torta de limão

Massa:

3 colheres de margarina
2 colheres de açúcar
1 colher de café de fermento em pó
3 gemas
farinha de trigo até soltar das mãos

Recheio:

1 lata de leite condensado
suco de dois ou três limões (eu geralmente coloca 3)

Merengue:

3 claras batidas em neve
6 colheres de açúcar
raspas de limão

Modo de Fazer:

Primeiro faça a massa. É só misturar tudo e deixar a farinha pro final. Não tem medida certa, é colocar até soltar das mãos. Ai você decide o tamanho da forma. Nesse caso eu fiz em forminhas separadas. Mas geralmente faço numa forma de torta, daquelas que abre na lateral, saca? Não precisa untar, porque a massa tem tanta manteiga que não gruda. Em nada!
Depois coloca ela pra pré-assar em forno médio até ficar assada. É, eu num sei quanto tempo. Então olha pra ela à cada 5 min, só pra ter certeza. Como ela sobe (fermento) é bom fazer uns furinhos com um garfo antes de levar ao forno. E não deixe ficar muito morena porque ela volta por forno depois, então se passar do ponto nessa etapa, ferrou!

O recheio é só misturar os dois. Quando você joga o suco no leite condensado parece que num vai misturar nunca, mas mistura. Vai por mim. Continua mexendo essa bagaça aeh! Se você é xarope que nem eu, é bom coar o suco antes de usar, ok?

O merengue é o seguinte. Bate as claras em neve. Se você não sabe o ponto que ela tá em neve, é assim, óh: Vira de cabeça pra baixo o potinho. Se ela não cair, tá no ponto certo. Se cair, vc limpa! hehehe =P

Quando tiver em neve, você continua batendo (na batedeira, acho que não mencionei isso. Bom, to falando agora!) e vai adicionando o açúcar colher por colher. Não coloca o açúcar antes de virar neve senão as claras não endurecem nunca. (aprendi isso da pior forma possível..rsrs)
No final, joga as raspas e mistura.

Com a massa pré-assada, jogue o recheio e cubra com o merengue. No caso das tortinhas, é bom desenformar antes desse processo. Depois leve ao forno novamente até dourar o merengue.
Olha como ficou biita:



Tá me dando fome enquanto posto isso. São realmente gostosas, pode fazer!

No tamanho torta, dá BEM menos trabalho e rende umas 18 fatias.
No tamanho tortinha, rende 21 dessas maravilhas. São menores que uma fatia, mas eu num sei se é porque comemos direto com a boca e não com garfo e tudo mais, ou porque são fofas de morrer, mas satisfaz mais do que no formato normal. Mas admito, o trabalho é 4 vezes maior!

Eu dou nota 10. Num é porque fui eu que fiz não, mas é a melhor torta de limão que já comi na vida.

E ai, curtiu? Faz ai e me conta!